Conheça mais um dos associados da ADEA: Werney Serafini

19 jul 2018

Seguindo o objetivo de conhecermos um pouco mais sobre quem faz a ADEA acontecer, o perfil de hoje é de Werney Zuñeda Serafini.

Quando se fala em ADEA, para muitos é a imagem de Werney Zuñeda Serafini que logo aparece à mente, não é mesmo? A frente de muitas atividades da associação, ele é mais uma das pessoas que faz parte da equipe.

Natural de Curitiba, frequenta Itapoá desde 1958 e, desde 2002, escolheu a cidade como novo lar. Dois anos após a mudança definitiva, em 2004, ingressou na ADEA. A associação foi conhecida por ele através da Reserva Volta Velha, onde a ADEA atuava. Na época, o biólogo Lúcio Machado, da família dos proprietários da reserva, o procurou para apoio na implantação do projeto de educação ambiental para alunos das escolas públicas e privadas, com uma metodologia criada pelo Glen Helen Outdoor Education Center de Ohio/USA. “Conheci então, o jovem Engenheiro Florestal Juarez Michelotti, que estagiou no instituto americano e pretendia trazer o método para o Brasil. Achei a metodologia interessante e apropriada para conscientizar e sensibilizar as pessoas para as questões ambientais, notadamente em Itapoá, onde minha família manteve empreendimento agropecuário desde os anos 50 e acompanhei, mesmo à distância, o desenvolvimento do município, pois tinha planos de morar no local”, conta.

Interessado no projeto, convidou sua esposa, a psicopedagoga Arlete Zagonel Serafini, da Síntese Centro de Desenvolvimento de Estudos de Aprendizagem de Curitiba/PR, para analisar a metodologia proposta e trazê-la para a realidade de Itapoá. Com isso feito, em conjunto com outros profissionais conhecedores da reserva, contribuiu na elaboração do Ceal – Centro de Educação ao Ar Livre da Reserva Volta Velha, onde em três edições (2007, 2008 e 2009) foram acolhidos mais de 1.300 estudantes da rede de ensino pública de Itapoá.

Logo após conhecer o projeto, foi convidado pela família Machado a assumir a presidência da entidade, com o acordo de que a ADEA poderia extrapolar os limites da reserva e ser institucionalizada no município. Assim, em 2005 assumiu a presidência e, em 2006, a ADEA foi definitivamente transferida de Curitiba para Itapoá.

De lá pra cá, Werney foi presidente por alguns mandatos, 1º secretário executivo por dois mandatos e, hoje, atua novamente como presidente no biênio 2018/2019. Como integrante da equipe, colaborou com diversos projetos. Entre eles, destaca: o Patrimônio Material e Cultural de Itapoá – Construções de Antigamente; Mostra de Imagens – Rio Sai Mirim, do começo ao fim; as Incursões ao Rio Sai Mirim; Plano de Manejo da RPPN Fazenda Palmital – Reserva Volta Velha; Centro de Referência em Estudos de Florestas Costeiras da RPPN Fazenda Palmital – Reserva Volta Velha; participação nas articulações para a criação da RPPN Volta Velha Padre Piet Van Der Art e o Projeto do Viveiro Florestal Educador – Itapoá Sempre Verde, com recursos da compensação ambiental para a ampliação do Porto de Itapoá; Resgatando Memórias do Projeto Ampliar, também do Porto Itapoá. Além disso, está em elaboração o Plano de Manejo da nova RPPN Volta Velha Padre Piet Van der Art.

Werney também coordena a mobilização para a implantação de um Sistema de Unidades de Conservação no município, principalmente no entorno das margens do Rio Sai Mirim, criando um mosaico de áreas protegidas e interligadas na Planície Costeira, um dos últimos remanescentes florestais ainda em bom estado de conservação.

E com toda essa lista de atividades e projetos, aos 71 anos, o administrador afirma que a grande motivação está na oportunidade de se manter ativo, útil e participativo. Para ele, a partir da ADEA teve o privilégio de desfrutar de experiências e vivências únicas, além de poder conviver e compartilhar com pessoas, especialmente os jovens da cidade. “Contribuir para o desenvolvimento equilibrado desse lugar me proporciona uma atividade gratificante e prazerosa”, fala.

Além de atuar como voluntário da ADEA, Werney também realiza um projeto pessoal: ler e escrever. “Sou leitor assíduo, ‘rato de livrarias’ que aprecia o ofício de escrever, em que pese as minhas limitações”, conta. Com o gosto pela escrita, assina colunas em jornais da região. Werney também faz parte da Fundação Pró-Itapoá, da qual foi um dos sócios fundadores e atualmente participa como membro do Conselho Curador. Também representa a ADEA no Grupo Pró-Babitonga, dedicado a assuntos relacionados à sustentabilidade da baía de mesmo nome, e no COMDEMA – Conselho de Meio Ambiente de Itapoá; e tem uma cadeira na Academia de Letras Cruz e Souza de Itapoá. Por fim, para seu orgulho e ainda mais de Itapoá, é Cidadão Honorário de Itapoá.

Uma história inspiradora, não é mesmo? Todo mundo pode fazer a sua parte, seja em grandes projetos ou pequenas ações. Conheça um pouco mais sobre a ADEA e venha construir uma nova história com a gente!

 

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Nenhum voto, seja o primeiro!)
Loading...

1 Resposta para Conheça mais um dos associados da ADEA: Werney Serafini

Avatar

Pedro Silvano Gunther

julho 19th, 2018 at 10:38

É um privilégio para os itapoenses poder contar com as iniciativas e o trabalho de Werney Serafini, um homem que enxerga longe!

Enviar Comentário